navegue
15.4.18

lugares perfeitos


Tem umas vezes que sinto vontade de sair de casa e correr, deixar a porta aberta, sem medo gritar, gritar muito e eu sei que isso é normal. Eu quero me libertar, eu quero ser livre e não me iludir com a falsa sensação de liberdade que os 20 anos traz. Eu quero me sentir em paz e viva, feliz com o que tenho e com o que não tenho, eu não quero mais mascarar os sentimentos, eu quero falar sobre eles abertamente sem ter vergonha da expressão facial e dos comentários. Eu quero falar com minha avó, quero dizer 'eu te amo' pros meus pais e perdoar meu pai verdadeiramente, eu quero chamar o meu amor e dizer o quanto nós somos sortudos por ter um ao outro, por nos sentirmos confortáveis do nosso jeito. Eu quero festejar com meus amigos, quero sair tarde da noite e não sentir medo de ladrão nenhum. Eu quero, eu sou fruto do que quero e tenho e não tenho. Meu nome não é o meu nome, eu não nasci no dia 1 de julho, esse dia não me pertence, 1997 nunca existiu, eu existo muito antes antes disso. Muito antes de decidir crescer e expandir, e avisar e surpreender. 

Entendeu?


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postagem mais recente Postagem mais antiga Página inicial