Um Passeio no Jardim da Vingança, Daniel Nonohay

escrito por ♡ dezembro 07, 2017

Título: Um Passeio no Jardim da Vingança
Autor: Daniel Nonohay
Editora: Novo Século 
Número de páginas: 301 
Ano de publicação: 2016 
Para comprar: (R$ 30,63 | AMAZON)
CLASSIFICAÇÃO: 
SINOPSE: Seja bem-vindo ao nosso futuro! As grandes cidades convivem com a divisão entre as “zonas vigiadas” e suas periferias. O uso de drogas e medicamentos é disseminado, sendo controlado por laboratórios. Implantes cibernéticos são uma realidade, aumentando capacidades e aptidões, como a de memória, para aqueles que conseguem arcar com os custos. Religiões e grupos terroristas alimentam-se do descontentamento e das diferenças sociais. Venha acompanhar a história de Ramiro, um advogado que perdeu o prazer de viver. Depois de quase ser morto, tenta retomar a rotina profissional e dar sentido ao que restou da sua vida. Em litígio com os sócios do escritório, parte como caçador em busca de uma vingança que o acabará transformando em caça. (+SKOOB)


A obra é dividida em 2 livros com duas partes cada e com capítulos de leitura rápida. Utilizando uma narrativa densa e perfeitamente humana, o autor mostra o ser humano, em toda a sua complexidade emocional, lidando com a tecnologia avançada de um futuro não especificado. E todo esse envolvimento fica ainda mais intenso pois o mundo jurídico serve como plano de fundo para a narrativa. 

Estando tão acostumado a consumir livros de ficção de outros países, o livro do Daniel serviu como um alerta para mim. Existem autores extremamente talentosos no Brasil, o que não existe é o investimento e a confiança das editoras neles. É triste. Mas, pensando bem, essa situação reflete muito como o próprio brasileiro se sente inferior em relação aos outros países. Não acreditamos em nós mesmos; afinal, tudo que rodeia a sociedade é reflexo dela mesma. 


Uma publicação compartilhada por BLOG LIVROS QUE LI (@bloglivrosqueli) em

Além de ser um livro de ficção nacional, outro aspecto chamou muito minha atenção na obra: o mundo jurídico. Uma área de estudo tão complexa pois tenta acompanhar as nuances humanas. Eu, como um estudante de direito, tenho meus altos e baixos tentando me localizar nessa vastidão inexata. O próprio autor é um jurista, o que deu ainda mais verossimilhança a obra. 

A narração é em terceira pessoa, todavia foca-se em um personagem por vez; o tempo da narração não segue uma linha reta, a cronologia da obra é alterada para dar mais dinamicidade a obra e dar uns twists na narração. O autor não se foca muito em descrever o espaço físico da obra, até porque o que realmente importa é a complexidade latente das personagens. 

Todas as personagens são quadros perfeitos do que significa ser humano: uma constante inconstante, ou seja, você está sempre mudando mesmo ainda sendo você. O autor levanta duas ótimas reflexões com sua obra: com a evolução da tecnologia como o humano se comportará? A religião ainda servirá como balsamo para aqueles que buscam um alento divino? Essas duas questões estão me atormentando até agora, mesmo depois de ter terminado o livro há dias. 

O livro mostra muito bem a pré disposição que todo ser humano tem em ser corrompido e escancara a desconfiança nata que nós nutrimos por nós mesmos. Há algum tempo atrás, uma professora minha falou a seguinte frase: “A justiça não é cega, ela consegue ver muito bem”. E lendo esse livro, essa frase se firmava cada vez mais no meu cérebro a cada página que eu virava. Cada personagem tem o seu conceito de justiça porque todo o aparato jurídico-legal disponível é seletivo e discriminador, assim se monta o enredo do livro. 

Baseado nessa sensação de impunidade diante a algo mais forte, a narração mostra a corrupção dos homens, das organizações, dos sentimentos. A corrupção do homem. Na busca por justiça, muitos personagens cometem atrocidades e, como numa reação em cadeia, a vítima vai procurar justiça também. Justiça é só uma máscara para aquilo que a pessoa realmente busca: vingança.



SOBRE O AUTOR: 



"Nasceu em 1973 e mora em Porto Alegre. É casado e pai de duas filhas. Juiz do trabalho, escreveu o seu primeiro romance à mão, em dois cadernos pautados, quando tinha 17 anos. É autor de artigos técnicos, na área do Direito, e políticos que foram publicados em livros, jornais e sites. Organizou livros de coletâneas. É colorado. Atuou como professor e é pós-graduado em Direito do Trabalho, Direito Processual do Trabalho e Direito Previdenciário. Foi Presidente da Associação dos Magistrados do Trabalho do Rio Grande do Sul. Atualmente, aproveita cada segundo livre para escrever, a sua grande paixão (depois, é claro, das “suas mulheres”)." [FONTE]




Você também pode gostar de:

8 comentário(s)

  1. Oi querida!
    Adorei a resenha. E posso dizer que fiquei muito ansiosa para conhecer a obra do autor. Não o conhecia essa obra dele, porém, a forma que você descreveu me encantou. Já adicionei na minha listinha da amazon ♥
    Espero gostar...

    Beijoss, Enjoy Books

    ResponderExcluir
  2. Oiee, que bacana encontrar bons livros nacionais! Tem tanta coisa boa por aqui que não ficamos devendo em nada para os livros internacionais! Parece uma excelente ficção!

    Bjs, Mi

    O que tem na nossa estante

    ResponderExcluir
  3. Oi!
    Eu ainda não conhecia o livro, mas fiquei bastante interessada pela premissa. Gosto muito dos livros lançados por este selo, afinal, através dele, já conheci autores maravilhosos! Parabéns pela resenha, vou anotar a dica.

    ResponderExcluir
  4. Ooi!
    Primeiramente, amei a capa! Hhaha
    Parece ser um livro ótimo, e amei a resenha, mas confesso que não sei se, particularmente, ele me agradaria. Porém, se eu tiver a oportunidade um dia, darei a chance, graças às duas opiniões.

    ResponderExcluir
  5. Oi.
    Bom, o enredo já chamou minha atenção por conta dessa reflexão de como as novas tecnologias afetam as interações humanas e saber que o enredo tem como plano de fundo o mundo jurídico despertou mais ainda meu interesse, pois sou formada em direito. Adorei e anotei a dica. Beijos.

    ResponderExcluir
  6. Olá!

    Deste o lançamento deste livro que tenho muita vontade de lê-lo, pois a sinopse dele consegue chamar minha atenção. Lendo sua resenha e conhecendo a história e tendo mais informações sobre o livro estou desejando ainda mais ele. Principalmente sabendo que contém uma narração que mostra a corrupção dos homens e das organizações. Dica anotada e parabéns pela resenha.

    Bjos

    ResponderExcluir
  7. Oi tudo bem?
    Confesso que não é o estilo de livros que costumo ler, mas uma das minhas metas literárias para 2018 é sair um pouco da minha zona de conforto e ler livros que eu não costumo ler. Não conhecia o autor nem a estória e fiquei bastante curiosa e vou adiciona-lo na minha wish list. Muito obrigada pela dica e parabéns pela resenha
    Bjs

    ResponderExcluir
  8. Oi, tudo bem?
    Não conhecia o autor e nem a obra, mas achei muito interessante a premissa.
    É muito bom quando encontramos essas obras nacionais que são tão boas, né? Dá até um orgulho lá no fundo do peito hahaha
    Vou acrescentar na minha lista ;)
    Beijinhos,

    Galáxia dos Desejos

    ResponderExcluir