Tartarugas Até Lá Embaixo, John Green

escrito por ♡ novembro 23, 2017

Título: Tartarugas Até Lá Embaixo
Autor: John Green
Editora: Intrínseca
Número de páginas: 256
Ano de publicação: 2017
Para Comprar: (R$ 27,90 + Saraiva)
CLASSIFICAÇÃO:  

SINOPSE: Depois de seis anos, milhões de livros vendidos, dois filmes de sucesso e uma legião de fãs apaixonados ao redor do mundo, John Green, autor do inesquecível A culpa é das estrelas, lança o mais pessoal de todos os seus romances: Tartarugas até lá embaixo. A história acompanha a jornada de Aza Holmes, uma menina de 16 anos que sai em busca de um bilionário misteriosamente desaparecido – quem encontrá-lo receberá uma polpuda recompensa em dinheiro – enquanto lida com o transtorno obsessivo-compulsivo. (+SKOOB)

Aza é uma garota de 16 anos que, influenciada por sua melhor amiga Daisy, acaba aceitado procurar  Davis Picket, um bilionário desaparecido, que estava sendo investigado pelo que chamaríamos de Improbidade Administrativa aqui no Brasil, ou seja, crimes contra a administração pública, o famoso “corrupto”.

Ao aceitar sair em investigação com a amiga, Aza acaba se reencontrando com Davis Picket (Junior) o filho do bilionário, que ficou morando na mansão de seu pai com seu irmão, um segurança, uma cuidadora e um biólogo.

O que chama atenção na história é que Aza possui TOC – Transtorno Obsessivo Compulsivo.

Wiki: O transtorno obsessivo-compulsivo (TOC) [...] é um transtorno de ansiedade caracterizado por pensamentos obsessivos e compulsivos, no qual o indivíduo tem comportamentos considerados estranhos pela sociedade ou por si próprio; normalmente trata-se de ideias exageradas e irracionais de saúde, higiene, organização, simetria, perfeição ou manias e "rituais" que são incontroláveis ou dificilmente controláveis.

Por ser narrado em primeira pessoa, mal percebemos o quando o transtorno de Aza é grave, e que, se não for tratado seriamente, pode perturbar a pessoa ao ponto de atitudes muito extremas. Um exemplo disso, e que acontece durante o livro todo é o fato dela estar sempre cortando o dedo, limpando e tampando com um band-aid, com medo de infeccionar, mas nunca deixa cicatrizar.
“Esta sangrando porque ainda não cicatrizou. Talvez esteja infeccionado. Não esta. Tem certeza? Você limpou o machucado hoje de manhã? Devo ter limpado. Eu sempre limpo. Tem certeza? Ah, pelo amor de Deus” (Aza questionando ela mesma).
Após se reencontrar com Davis, Aza acaba descobrindo sentimentos por ele, e ele por ela, mas é muito difícil para ela se relacionar com Davis, por causa de sua condição, ela sente um ataque de pânico sempre que tenta beijá-lo, pois seus pensamentos estão nas milhões de bactérias que são transferidas com um beijo na boca.


Para ter certeza sobre o sentimento de Aza, e garantir que ela não esta com ele apenas pela recompensa de encontrar seu pai, Davis entrega o dinheiro equivalente a quantia que a policia está oferecendo pelo seu pai a Aza e Daisy, cem mil dólares. Que é uma quantia fácil de ser encontrada em pequenos esconderijos na mansão.

Algo intrigante (e revoltante) na história, é que Davis (pai), deixou bem claro que quando morresse, toda a sua fortuna iria para uma Tuatara, um bicho que parece um lagarto, descendente de dinossauros, que pode viver mais de 150 anos. Davis tinha uma Tuatara em sua mansão bilionária e investia em estudos, nesse espécime estranho.

Como Davis (filho) havia perdido sua mãe, ele e seu irmão tinham apenas seu pai e se ele permanecesse desaparecido, sua fortuna ficaria para um cuidador de seus filhos, e se morresse, a fortuna ficaria para o Tuatara.

Apesar de termos uma personagem principal vitima de um transtorno grave, a história foi bem distribuída entre seu transtorno, a perda de seu pai, seus problemas com sua melhor amiga, seu relacionamento com sua mãe e com Davis.

O que será que vai acontecer com Aza e Davis?


MINHA OPINIÃO

Eu tinha me esquecido como é fácil ler um livro do John Green, o único livro que me falta ler dele hoje é O Teorema Katherine, que sempre enrolo para comprar, mas acho que vou começar a ler ele.

Nesta obra, Green nos mostra como é difícil ser portador de TOC, e com uma pesquisa rápida no Google descobri que ele mesmo tem TOC, então acredito que escrever este livro deve ter sido como mostrar o mundo dele para seus leitores, achei isso super interessante.

Antes de ler o livro, li uma resenha meio negativa em um blog, e o resenhista disse no stories do instagram “Este livro não tem pra que veio” rsrs mas como cada um tem uma opinião diferente, ao contrário dele, eu gostei muito do livro.

Acabei me identificando um pouco com Aza em alguns momentos, me lembrei de um episódio, quando eu tinha 11 anos, eu era bem encucada com as coisas limpas, uma vez estava comendo chiclete (aqueles em forma de bolinha) com meus amigos e um caiu no chão, eu vi ele rolando na calçada e coloquei o pé, só pra segurar mesmo, pois para mim aquilo já era lixo, então minha amiga disse: “Af ainda chuta”, então meu amigo pegou o chiclete e colocou na boca. Fiquei tipo: “Que nojo”. Mas isso nem se compara ao que Aza sente ou o que uma pessoa que tem TOC sente, com certeza é muito mais perturbador.

Me surpreendi com uma atitude da Aza no meio do livro, os pensamentos dela são tão subversivos que ela acaba tendo uma atitude tão extrema que parece até mentira.

Os personagens secundários também chamam muito nossa atenção, principalmente Daisy que escreve fanfics de um romance entre Ray e Chewbacca de Star Wars, e é muito apaixonada pela franquia.

Algo que também gostei é que não somos apresentados aqueles personagens que se importam com a escola, e quem é popular na escola e etc. Essa questão de ter a patricinha pé no saco e o cara popular às vezes é bem chato, e gostei de não ter isso neste livro, o autor conseguiu deixar o foco onde deveria.

Gostei bastante do livro e indico ele para quem gosta de leituras fluidas, ou tem curiosidade para saber como uma pessoa doente pensa, o que ela sente e quais são suas atitudes.

Você também pode gostar de:

12 comentário(s)

  1. Ei, tudo bem?

    Não sabia o quão era complicada e forte esta doença, até eu ver uma reportagem em um jornal outro dia. Dever ser muito ruim!
    Estou vendo várias resenhas e pessoas falando a respeito deste livro, mas nunca tinha pesquisado mais a fundo, e parece ser interessante, apesar de eu não gostar muito do John Green.

    Enfim, gostei da resenha!

    Beijão
    Cantinho da Escrita

    ResponderExcluir
  2. Oiii tudo bem?
    Sou completamente apaixonada por livros do Green e todos sempre tratam de alguma doença, transtorno e afins, então sei que seria uma ótima pedida para mim também, além de ser uma capa linda demais!
    Beijinhos

    ResponderExcluir
  3. Leituras fluidas é a chave perfeita para eu gostar do livro haha.
    Já me interessei por esse.
    Minha experiência com o Green não foi uma das melhores, mas quem sabe esse supere.

    Beijos,
    Naty
    http://www.revelandosentimentos.com.br

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Tinha visto sobre esse livro no encontro de blogueiros da Intrínseca e ficado muito curiosa pra ler. To com ele no Kindle e com sua resenha vou passar na frente de algumas pendências.
    Beijos!

    Camila de Moraes.

    ResponderExcluir
  5. é, TOC realmente é complicado... interessante o autor abordar o tema no livro... mas particularmente não aprecio a escrita de Green, apesar de ser fluída, acho rasa pra mim... mas como vc falou, questão de gosto...
    bjs...

    ResponderExcluir
  6. Adoro o autor, mas ainda não conhecia essa obra!

    Bjxxx
    Ontem é só Memória | Facebook | Instagram

    ResponderExcluir
  7. Apesar de todos os elogios que já deste livro, ainda não me interessei por ele, sem falar que me lembrou um pouco ACEDE, talvez por ter o ponto de vita de uma pessoa doente.
    Bjs, Rose

    ResponderExcluir
  8. Oie!
    Nunca li nada do autor, tenho livros dele na estante mas nunca li, esse me deixou curiosa começando pelo título, e o assunto também traz bastante reflexão, por ser um transtorno que até o autor possui. E por também saber dosar a história com outros assuntos!
    Parabéns pela resenha!

    Beijos,
    Eli - Leitura Entre Amigas
    http://www.leituraentreamigas.com.br/

    ResponderExcluir
  9. Olá, eu não conhecia o enredo desse livro, mas depois dos seus comentários parece ter um enredo bem bacana e que o autor trabalhou bem o TOC *-* Adorei a dica.

    ResponderExcluir
  10. Olá, não conhecia esse livro mas ele parece ser muito legal, achei o assunto muito interessante, obrigada pela dica.

    ResponderExcluir
  11. Estou super ansiosa para ter esse livro em minhas maoss!! Poderia ter comprado a versão online né mas gosto do papel vc também? Aqui no eua não encontrei ele em português então está vindo do Brasil! Com esse post aumentou mais ainda minha vontade de ler logo!
    Adorei o post e o blog!


    www.thaubarbosa.wordpress.com

    ResponderExcluir
  12. Hey!

    Eu acho que esse livro foi um dos mais aguardados do ano, o marketing da editora e a quantidade de pessoas falando dele foi, sem dúvidas, enorme. Particularmente não foi fã do Green então havia deixado passar. Como esta é a primeira resenha da obra que leio, fiquei bem interessada, ele parece ter melhorado muito a escrita. Vou pesquisar mais sobre.
    Beijos.

    ResponderExcluir