Crave a Marca, Veronica Roth

escrito por ♡ outubro 28, 2017


Título: Crave a Marca
Autora: Veronica Roth
Editora: Rocco
Número de páginas: 480
Ano de publicação: 2017
Para comprar: (R$ 25,90 + Amazon)
CLASSIFICAÇÃO: 
SINOPSE: Num planeta em guerra, numa galáxia em que quase todos os seres estão conectados por uma energia misteriosa chamada “a corrente” e cada pessoa possui um dom que lhe confere poderes e limitações, Cyra Noavek e Akos Kereseth são dois jovens de origens distintas cujos destinos se cruzam de forma decisiva. Obrigados a lidar com o ódio entre suas nações, seus preconceitos e visões de mundo, eles podem ser a salvação ou a ruína não só um do outro, mas de toda uma galáxia. Primeiro de uma série de fantasia e ficção científica, Crave a marca é aguardado novo livro da autora da série Divergente, Veronica Roth, que terá lançamento simultâneo em mais de 30 países em 17 de janeiro, e surpreenderá não só os fãs da escritora, mas também de clássicos sci-fi como Star Wars.

Thuvhe é um planeta dividido, composto pelos povos thuvhesistas e pelos shotet. A divisão entre eles é tamanha, que o povo thuvhesista chama o planeta apenas de Thuvhe e para os shotet o planeta se chama Urek e não Thuvhe.

Os thuvhesistas são uma população considerada pacífica, enquanto os shotet são considerados uma nação agressiva e brutal.

Um ponto importante a ser explicado é que existe uma força chamada “corrente” que passa entre os planetas, e flui em cada ser vivo dos planetas. Essa corrente faz com que cada pessoa tenha um “dom”, e cada dom pode ser considerado como um poder diferente.

O livro começa contando a história de Akos, um garotinho que vivia com seus pais e irmãos em um planeta chamado Thuvhe, até o dia em que sua casa é invadida por shotets, que buscavam sua mãe, que pelo fato de ser uma oraculo, era muito valiosa.

Os oráculos tem o dom de ver o futuro e também de saber a “fortuna” de todos os humanos, que é a sua destinação, como se fosse o objetivo de sua vida.

Após a invasão, Akos é levado como refém até Urek, onde Ryzek, o líder poderoso dos shotet, o aguardava.

Após este acontecimento, somos apresentados a Cyra, irmã de Ryzek, uma garota que teve seu dom despertado muito cedo e acabou sofrendo com sua revelação, uma vez que seu dom era o de causar dor naqueles que a tocavam (mais ou menos como a vampira de x-man). Cyra possui sombras que correm em seu corpo e elas causam dores até mesmo na garota, que sofre durante muito tempo, até conhecer Akos.

Quando os personagens se conhecem, já se passaram anos desde a invasão dos shotet na casa de Akos, e agora Akos cresceu e foi educado de acordo com vários costumes dos shotets, inclusive aquele em que o livro ganhou seu nome: cravar a marca de um corte em seu braço quando você mata alguém.

“– Tudo bem – disse ele.
– Você aprendeu este ritual? – perguntei.
Ele fez que sim com a cabeça.
– Crave a marca – falei, minha garganta apertada.”

Não quero deixar spoiler na resenha, então posso dizer que o dom de Akos ajuda Cyra a não sentir tantas dores, e os dois acabam passando mais tempo juntos, o que acaba fazendo crescer um sentimento entre essas duas pessoas que possuem tantas diferenças.

O foco do livro não é o sentimento entre eles, e sim o inicio de uma guerra politica entre os shotet e os thuvhesistas, envolvendo muitos personagens importantes e impressionantes, bem como, o desejo de Ryzek de dominar o planeta.

O irmão de Akos, Eijeh, é também um personagem bem importante na trama, pois com o passar do tempo Ryzek usa seu poder (de trocar lembranças) com Eijeh, para confundir suas memórias e conseguir fazer com que ele o sirva, bem como, para conseguir dominar o poder do rapaz, se ele consegue? Prefiro não dar spoiler.


Arte: Rocco.

MINHA OPINIÃO

Crave a marca não é tão diferente de Divergente, apesar de se tratar de um mundo novo, povos diferentes, pessoas com “poderes” e que falam línguas distintas, o livro fala bastante de politica e do que é certo ou errado, assim como a saga Divergente.

Entretanto posso dizer que Crave a Marca chamou muito mais a minha atenção, apesar da confusão que foi no começo da leitura... ter que me acostumar com esse monte de nomes estranhos e tudo mais, me encantei pelo livro e li ele em três dias, isso porque tinha que trabalhar, se não eu leria em um dia só.

A personagem Cyra é muito cativante, mesmo sofrendo nas mãos de seu irmão, após a morte de seus pais, ela consegue mostrar muita força e inteligência.

Akos é um rapaz que se mostrou bastante decidido, viveu anos com os shotet, e mesmo pegando seus costumes, nunca deixou de pensar em seus irmãos, em sua família e no que havia acontecido com sua mãe.

Um ponto bem interessante do livro é que, assim como o livro Uma Longa Jornada, que eu já resenhei aqui, ele é contado tanto em primeira pessoa, quando em terceira pessoa! Os capítulos de Akos são contados em terceira pessoa e os capítulos de Cyra são contados em primeira pessoa.

Vale a pena ler Crave a Marca, pois não se trata apenas de romance ou fantasia. É um livro que traz muitas realidades por trás de sua narrativa e nos mostra como Veronica Roth é ótima quando escreve.

Você também pode gostar de:

20 comentário(s)

  1. Primeiro de tudo, adoreeei o seu blog! Gostei muito de como você estruturou ele, da organização. Sinceramente, um dos melhores blogs literários que eu vi, parabéns! Estou morrendo de vontade de ler todos!

    ResponderExcluir
  2. Não sou fã de livros mas achei interessante, se fosse filme seria um prazer assitir

    ResponderExcluir
  3. Eu simplesmente adoro esse tipo de livro e por você dizer que vai surpreender fãs de Star Wars me deixou ainda mais interessada! Com certeza esse livro vai pra minha lista de leitura! Adorei a forma com que você resenhou (obrigada por não dar muitos spoilers, geralmente quando eu sei o que vai acontecer, perco um pouco do interesse KKKK...) <3

    ResponderExcluir
  4. Parabéns pelo blog,e pela resenha rica em detalhes,adorei a saga Divergente e com "Crave a Marca" visto pela sua resenha me interessei bastante e creio que tbm irei gostar

    ResponderExcluir
  5. Oi Jessica!
    Adorei a resenha, e já até comecei a ler Crave a Marca, mas por causa dos estudos eu dei uma pausa. Vou retomar assim eu terminar as minhas provas.

    Beijoss, Enjoy Books

    ResponderExcluir
  6. Que livro interessante, eu não conhecia! A confusão de nomes e jogos políticos me lembrou um pouco "Os últimos dias de Krypton". Vou salvar esse nome para o caso de vê-lo por aí.

    bj
    Dani, do Blog Sabe o que é?
    http://sabeoque.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Eu não leio mais livros com adolescentes tem um bom tempo, não ter muita coisa diferente de Divergente tbm não me parece legal, pois parece que a autora não teve mta criatividade pra escrever, mas fico feliz que tenha curtido 😀

    Raíssa Nantes

    ResponderExcluir
  8. Olá! Adorei a resenha. Eu não li divergente, apenas assisti os filmes e apesar do último ter sido ruim, gostei da ideia da saga. Esse me chamou muito a atenção, acho que irei ler. :)

    ResponderExcluir
  9. Que resenha boa, interessante o livro, eu gosto pouco do Divergente não sei se ia curtir muito esse, mas parece bem interessante !

    ResponderExcluir
  10. Oi, tudo bem ?

    Já havia escutado falar muito bem do livro antes, mas ainda não tinha parado para ler sobre. Amei o post parece ser um livro muito bom e uma ótima dica de leitura.

    ResponderExcluir
  11. Oiii! Eu acho essa capa linda. Mas, confesso, que não sinto mais vontade de ler os livros da Veronica. Não me entenda mal, eu até gosto de Divergente (apesar de ter averção aos livros), mas achei que ela vacilou em muitos pontos. Então não foi algo que me deixou "meu Deuuus, preciso ler agora", como é o caso de outras autoras.
    Fora que uns dizem que vai ser série, outros que é único... aí fica complicado haha
    Mas amei sua resenha, ficou super explicadinho. Ps: os nomes são estranhos mesmo haha
    Arrasou, beijos

    https://almde50tons.wordpress.com

    ResponderExcluir
  12. Olá, parece interessante, é o tipo de livro com cara de jogo, ótima dica.

    ResponderExcluir
  13. olá, no início pareceu meio confuso, acho que a quantia de nomes exóticos da essa impressão hahah mas parece um livro com bastante ação que prende muito e você nem percebe quando chega o final, gostei bastante da resenha!

    ResponderExcluir
  14. Olá, tudo bem?

    Eu ainda não tinha lido uma resenha a respeito deste livro. E apesar de gosta bastante da capa e sua resenha está muito boa, eu vou deixar a leitura deste livro para futuramente. No moment, eu gostei da história, mas não despertou tanto interesse, mas como gosto bastante do Divergente e Crave a marca não é tão diferente de Divergente, eu não quero descartar este livro. Parabéns pela resenha.

    Bjos
    Histórias Existem Para serem Contadas

    ResponderExcluir
  15. Eu acho interessante essa coisa de misturar a narração entre primeira e terceira pessoa. Parece que dá uma dinamica diferente ao livro, sei lá... Quando eu comecei a ler a premissa do livro pensei em Divergente, e essa coisa de ser parecido e ao mesmo tempo diferente chamou bastante a minha atenção.
    Não tinha dado muita atenção a livro antes, mas agora fiquei com aquela curiosidade de saber tudo o que acontece...
    Espero gostar da leitura :)
    Beijinhos,
    Lica

    ResponderExcluir
  16. Oi, tudo bem? Quando vi Divergente pela primeira vez pensei que não gostaria do enredo por ser fantasia e a primeira história sobre distopia que conheci. Para minha surpresa gostei bastante. Os personagens são bem construídos, o enredo nos prende, com certeza a autora escreve muito bem. Ótima resenha. Beijos, Érika =^.^=

    ResponderExcluir
  17. Ola, tudo bom?
    Eu não conhecia esse livro, não é muito meu estilo de leitura, mas pode ser sim por nunca ter lido nada parecido.
    Uma certeza eu tenho, daria um filme muito bom!

    ResponderExcluir
  18. Olá, tudo bem?
    Eu conheço a autora devida à série Divergente. Eu tive a oportunidade de ler todos os livros e, quando comecei a ler sua resenha, tive a impressão que tinha algumas semelhanças com Divergente, coisa que você confirmou mas parte da sua opinião. Eu não tive uma experiência muito boa com a série, embora confesse que encontrei muitas coisas que me agradaram. Este novo livro da autora com uma pegada mais de fantasia, parece ser interessante. Já sabia da existência dele, mas ainda não tinha lido nada sobre ele. Fiquei tentado a conhecê-lo. Quero fazer quando tiver oportunidade, quem sabe não fico mais ligado ao trabalho da autora, não é, mesmo? Adorei a resenha.
    Abraço!

    ResponderExcluir
  19. Oi.
    Eu gosto de distopias e essa parece ser uma leitura muito interessante.
    Tenho a série divergente aqui, mas ainda não li porque recebi um spoiler do mal e acabei desanimando.
    Mas pretendo ler e, se gostar, vou ler crave a marca também.
    Adorei a resenha.
    Beijos.

    ResponderExcluir
  20. Oi, tudo bem? :)
    Quando esse livro saiu, fiquei louca para ler. Com o passar dos dias, fui esquecendo e acabei deixando de lado. Depois quando tive a oportunidade, acabei passando outros na frente.
    Apesar de você ter gostado mais do que Divergente, não me animei muito com a trama. Não sei o motivo! Espero que lendo, ele me anime mais.
    Beijinhos,

    Galáxia dos Desejos

    ResponderExcluir