Diário de leitura: Dom Casmurro, Machado De Assis #2

escrito por ♡ setembro 10, 2017


Finalizei a leitura de Dom Casmurro e estou sentindo um orgulho próprio, porque esse livro estava na minha estante há um bom tempo, aguardando para ser lido e, finalmente, eu vou poder fazer parte do grupinho dos que leram o romance. Apesar d'eu achar que esse grupinho discute bastante sobre adultério, quando eu acho que o tema central desse romance seja outro. Deixemos esse papo para a resenha que farei do livro. Sim, eu sei que existem mil resenhas de Dom Casmurro, bem como outras mil análises, porém, eu não poderia deixar de relatar a minha experiência de leitura. Não é? Tenho esse direito.

Eu vou me poupar e falar sobre as últimas impressões que tive ao final desse romance psicológico de provocar mind-blowing por onde passa.

(eu amo esse gif)

– críticas, muitas críticas: de onde Machado de Assis tirou tanta crítica para escrever essa obra? Não sei, mas o tanto de críticas que ele fez não é brincadeira. O autor critica o casamento, critica os românticos por inserir um triângulo amoroso inédito, critica as atitudes humanas tomadas por aparências, critica a Igreja e por aí vai. É crítica que não acaba e eu provavelmente vou machucar meus dedos de tanto escrever sobre isso hoje à noite;

narrativa que tem capítulos divididos entre memórias e um pouco de realidade, principalmente no começo, depois é mais memória sobre o tempo em que Bentinho estava com Capitu;

Machado de Assis me fez perceber que eu preciso DESCONFIAR MAIS do que eu leio, se eu não tivesse lido textos de apoio, eu provavelmente acreditaria que Capitu traiu Bentinho, mas a partir do momento que eu comecei a desconfiar dos fatos (ou seriam devaneios?) apresentados por Bentinho, pude entender o quanto eu NÃO poderia confiar no que eu estava lendo e, principalmente, não poderia confiar nesse narrador-personagem que nos apresenta acontecimentos apenas e somente a partir da visão DELE;

Capitu. Que personagem, viu. Que mulher. Uma das personagens mais intrigantes da história inteira e devo falar que: tô do lado dela. Fangirl intensifies, mas tô controlando os feels.

humor machadiano: aquela narrativa tensa que vai se desenvolvendo mas que não sufoca nem um pouco o leitor por motivos de: ironia.

– muitas vezes me peguei pensando se o que eu tava lendo era um romance psicológico ou um julgamento e eu descobri que é, na verdade, os dois.

Só queria dizer que venci na vida, pensei que nunca conseguiria ler esse clássico, mas consegui e estou bastante orgulhosa de mim. Não foi fácil, mas se tornou um dos meus livros favoritos. Vou explicar mais sobre isso na resenha, vou ficando por aqui, porque ou eu falo tudo ou eu fico sem pauta para o próximo post. 

Até mais.

Você também pode gostar de:

14 comentário(s)

  1. Oi, Amanda!
    Capitu, que mulher, né não? Com seus olhos de ressaca... haha
    Eu sou apaixonada nesse livro e só não é meu preferido da literatura brasileira, porque O Cortiço me pegou e levou me coração embora haha
    Até hoje fico analisando os devaneios de Bentinho e tento descobrir se Capitu o traiu ou não, acredita? Queria muito que alguém viesse e me falasse que traiu ou não traiu hahaa
    Beijinhos,

    Galáxia dos Desejos

    ResponderExcluir
  2. Nunca li o livro... Agora fiquei curiosa pra saber sobre esse romance e essas criticas que o autor tanto faz...

    ResponderExcluir
  3. Oi tudo bem?
    Nunca li esse livro o que eu tenho um pouco de vergonha de admitir mas fiquei curiosa para ler esse clássico depois da sua resenha e espero vencer na vida assim como você haha.

    Beijos

    ResponderExcluir
  4. Olá!
    Acabei ontem a leitura e como eu tinha salvado esse post seu vim correndo para ler (estava com medo de spoilers, se é que isso é possível numa obra discutida por todos).
    Algo que temos que ter em mente ao começar a leitura é que Bentinho é um narrador não confiável, ou seja, teremos só a visão dele dos fatos, fazendo assim com que nem tudo seja verdade. Eu fiquei tão horrorizada com o tamanho do ciúmes dele, que ficou difícil para mim acreditar que Capitu havia mesmo traído. E Capitu, minha amiga, que personagem foda, e me desculpe a palavra. Por mais que eu tenha achado Bentinho um pé no saco e tenha tido momentos que queria dá-lhe na cara (mas, tenha adorado o lado dele como Dom Casmurro), eu gostei muito do livro. Fico feliz que você tenha tido uma experiência tão boa quanto a minha.

    www.sonhandoatravesdepalavras.com.br

    ResponderExcluir
  5. Olá, tudo bem? Dom Casmurro é um dos meus clássicos favoritos, justamente por trazer esses tantos pontos de questionamento e principalmente desconfiança. A medida que você vai lendo, você aprende a ter senso crítico do ponto de vista que é narrado, afinal não é uma verdade absoluta, mas a visão de uma pessoa. Também acho a Capitu uma personagem de exímia sensacional, e por mais que alguns tons sejam amargos e de ironia pura, gosto das críticas que o autor traz. Sua resenha foi bem sucinta e diferente de modo que gostei bastante de ler, afinal é um livro bem batido haha
    Beijos,
    diariasleituras.blogspot.com.br

    ResponderExcluir
  6. Oie
    muito legal a resenha e eu me sinto envergonhada por ainda não ter lido, pois é um dos clássicos que mais morro de vontade de ler por ver tantos elogios, bela dica

    beijos
    http://www.prismaliterario.com.br/

    ResponderExcluir
  7. Olá, tudo bem?
    Eu tenho muita vergonha de não ter lido esse livro ainda. É um clássico da literatura nacional e um dos livros mais discutidos no mundo, então, ele com certeza está na minha meta de leitura.
    Fico muito feliz que você tenha gostado tanto do livro, especialmente da Capitu. Por tudo que já ouvi falar, ela parece ser uma personagem realmente incrível.
    Beijos!

    ResponderExcluir
  8. Olá, eu lembro que li Dom Casmurro uns bons anos atrás para o vestibular e o que mais marcou a leitura foi essa ambiguidade que ele fez onde nos leva a desconfiar do narrador *-* Adorei seus comentários.

    ResponderExcluir
  9. oi
    Machado é incrível né! Eu adoro esse livro e toda a dúvida que ronda essa história! Capitu é uma personagem muito marcante, impossível não adorá-la!
    Bjus

    ResponderExcluir
  10. OIe,
    É muito bom quando lemos um clássico, principalmente quando ele é nacional e gostamos tanto. Muita gente tem birra com Machado de Assis porque foi obrigado a ler na escola, mas eu acho os livros do autor incríveis e suas piadas e humores velados são os melhores.
    Beijos
    Blog Relicário de Papel

    ResponderExcluir
  11. Olha, eu dou meus parabéns para quem le clássicos, pois não é uma leitura que me de vontade de fazer, pelo menos não por agora, mas quem sabe futuramente não é mesmo??? Adorei conferir suas impressões.

    Beijos

    ResponderExcluir
  12. Está aí um livro que preciso reler assim que possível... Mas o que me lembro da época que li foi que adorei, achei genial e fiquei do lado da Capitu, que não traiu o Bentinho coisa nenhuma, também não confiei nele... Rs... Sua postagem só me fez querer mais reler urgente.

    ResponderExcluir
  13. Já li esse livro umas trilhões de vezes e não canso, é extraordinário, simples assim. Que bom que conseguiu e se tornou seu favorito.

    ResponderExcluir
  14. Olá,
    Quando fiz a leitura foi para prestar o vestibular e vários dos meus colegas não suportavam a leitura e viviam reclamando que era chata. Eu discordava totalmente.
    Adorei o livro logo de início e tenho que concordar que Capitu é uma mulher e tanto!

    LEITURA DESCONTROLADA

    ResponderExcluir